Tô na área

Volteeeeeeeeeeeei!!

Depois de tanto tempo...

Pois é, há bastante tempo que não apareço por aqui. Talvez por falta de tempo, inspiração ou preguiça mesmo.

Hoje, uma quarta-feira de agosto, aliás, que é um mês sinistro, o meu inferno astral... tudo de errado e de ruim acontece em agosto. Brigas, estragos, stress, choro, tristeza... o que de bom aconteceu em agsto?? Nada, simplemente nada!!

Hoje era para ter sido um dia normal como outro qualquer. Acordei às 05:10  da matina só pra dormir mais um pouco de novo (meu cérebro acostumou com isso, mania boba, as é a minha mania). Banho, café, Inter II lotado, trabalho, facul, canseira, risadas... orém a ideia idiota de entrar no msn. Um alerta. Pronto, me irritei e estou irritada até agora... bom desabafei!! Nada de mto especial para blogar...

Suellen, f... da cara!!

Sonhei...

Noooooooooossa... que noite horrorosa!! Primeiro pq morri de calor... suei frio... tive um mega pesadelo!! Sonhei q meu pai, mãe e noivo morreram. Foi tão desesperador que acordei desesperada... chorando... e feliz pq era apenas um pesadelo de mal gosto!!

Suellen=)

Sonhei...

Com gato preto + cemitério + porta que atravessei =

Cemitério: Se um bom tempo acompanha o sonho com cemitério, a pessoa será protegida pela afeição dos mortos. Se, por outro lado, se escorrega em barro dentro do cemitério, o luto está por perto. (Tinham as duas coisas e eu escorreguei no barro).

Gato Preto: Pode significar também um estado de ansiedade, principalmente se ele for preto. É de bom presságio- é sinal que você deve ter cuidado com a inveja e falsos amigos. No amor tudo ficará as mil maravilhas; com vários convites interessantes.

Porta:  porta representa a passagem de uma situação para outra. Por isso, podemos entender o sonho, conforme a dificuldade de se passar por esta porta. Fechada - dificuldades passageiras serão resolvidas com a ajuda de terceiros, indica assuntos que não se realizarão

 

Tbm sonhei com boi: BOI
Abundância, de modo geral. Pastando- feliz pressagio. Gordo- segurança.

 

Que doideraaa

O pior cego é aquele que não enxerga a si próprio...

Eu era a expectadora da cena.

Entre cobras e lagartos o lugar era horrível. Lugar escuro, infinito, sujo, cheirando a mofo. Quatro pessoas. Um homem e três mulheres. Ele nervoso, agitado, gritava. Eu não sabia se aquela pessoa era a mesma que conheci há alguns anos atrás. Causou estranheza a mim. Causou aflição aos meus olhos. E tristeza por não poder fazer nada.

De longe eu observava aquelas pessoas sofrendo... as duas mulheres de amor puro ao rapaz sofriam e choravam desenfreadamente... aquele choro sentido, dolorido... os soluços... Aquela mulher de longos cabelos e feição má, rosto acabado e cigarro na mão. Os bichos a rodeavam (aquelas cobras e lagartos que citei no começo). Que frio na espinha ver aquilo.

A mulher vendou seus olhos com as mãos e o levou para longe daquelas que o amavam de verdade. Levou e me fulminou com o olhar. Nem sei se ela sabia que eu os observava. Fiquei triste de ver tanto sofrimento. Depois disso, ele ficou com vendas nos olhos. Veio até mim e pediu ajuda. Partiu meu coração de ver aquilo, de ver aquele pedido implorado. Neguei o pedido. Neguei a ajuda. Minha resposta foi apenas: "Enquanto vc não se livrar dessa cegueira que há dentro de vc, não poderei ajudá-lo. Enquanto vc não se ajudar, não há nada que possa fazer por vc. Me perdoe. Mas vc precisa abrir seus olhos sozinhos e valorizar quem realmente ama vc". De repente tudo aquilo sumiu. Eu sumi.

Ufaaa!! Acordei... foi só um sonho... sonhos que não dizem nada e acabam dizendo tudo... dizem tudo ao personagem principal que está cego e não percebe...

Suellen=)

Borboletas...

Tanto tempo... nossa, escutei essa musica e gostei...

Percebo que o tempo já não passa
Você diz que não tem graça amar assim
Foi tudo tão bonito, mas voou pro infinito
Parecido com borboletas de um jardim

Agora você volta
E balança o que eu sentia por outro alguém
Dividido entre dois mundos
Sei que estou amando mas ainda não sei quem

Não sei dizer o que mudou
Mas nada está igual
Numa noite estranha a gente se estranha e fica mal
Você tenta provar que tudo em nós morreu
Borboletas sempre voltam
E o seu jardim sou eu

Encontro dos professores de Jornalismo

Joinville 1...

Su, Sil e Pri entram no buzão. A Su foi de joelho até Joinville virada pra trás tagarelando com as outras duas. O povo do buzão queria dormir. O trio não deixou. É aquela velha história. "Quer dormir, vai para um hotel." Enfim Maria Zaclis... a Sil foi contando a viagem dela pra Foz do Iguaçu e a risada foi geral... não vimos a hora passar... chegamos, descemos, tiramos as malas do buzão, nos olhamos e a interrogação: "Aqui é Joinville??" A Pri foi perguntar, e a risada foi geral. Primeiro mico da viagem!!

Joinville 2

Pegamos um táxi rumo ao IELUSC. Bom, até aí foi susse. Milhões de voltas demos pela cidade até chegar ao nosso destino. Pelo menos pensamos que era nosso destino. Tiramos as bolsas felizes e contentes do táxi. Aquela chuva infernal. Chega o Samuca e diz: "É no outro campus". Recolhe tudo no táxi e vamos simbora. Fomos!! Porém, sempre tem os poréns da vida... o taxista se perdeu com a gente no meio do nada, e pior, no meio do escuro. Aiii que meda. E pra ajudar, taxista meia roda. Até a Sil cuzida dirige melhor q ele. Enfim... ele pegou o mapa e não se localizou... lógicooooooooo, tava olhando de ponta cabeça. Graças a Pri, achamos o local. Vivaaaaaaaaaaaaaaa Joinvilleeeeeeeeee...

Joinville 3

Chegamos no alojamento. Afffffff... quartinhos com cheiro de mofo e com mtas goteiras. Qdo a porta abria, não fechava, e qdo fechava, não abria. Um primor de alojamento. No meio do mato, no meio do escuro. Sério, morro de medo de escuro. O banheiro?? Lá embaixo no meio daquela quadra de esportes gigaenorme. Vontade de fazer xixi a noite?? Nem pensar... fomos conhecer a quadra...

Joinville 4

Hora de conhecer o território... Vivaaaaaaaaa!! Achamos mesas de ping pong e de pebolim!! As três mosqueteiras andando naquela escuridão. A Su olha e fala: "Olha um gatinho!!" A Sil chega mais perto e fala: "Corre que é uma ratazana!!" Correria total. A Su saiu fechando tdo qto é porta. Aquela ratazana parecia um tamanduá. Risada geral. Descobrimos que era um gambá. Foi o seu Hilário que nos contou isso.

Joinville 5

Tomamos um banho e fomos jogar Uno. (Lá tava caindo o céu de tanto que chovia). Diversão total. As meninas cozinharam o galo. Depois, foram jogar peteca com a bolacha passatempo. Quase quebraram a Big Apple. O melhor é dormir. ZzZzZz

Joinville 6

Aquela criançada gritando 7 da manhã. Aquela correria na frente de nosso alojamento. Que merda!! Percebemos que era sexta-feira e tinha aula daquela criançada. Quem conseguiu dormir?? Ninguém. Vamos tomar banho e passear pela cidade...

Joinville 7

Andar de ônibus na cidade da qual São Pedro conhece mto bem. Ônibus massa. Motorista feminina. Um cartão transporte todo complicadinho. Passagem de R$ 2,50. Descemos no terminal. Meu Deus... de cara descobriram que a gente não era dali. Ficamos pasmas. Como será que descobriram?? Lógico... as tongas acharam q estavam em Ctba e foram atravessando a rua em qualquer lugar. Lá eles atravessam pela faixa. Afff... mais um mico... Rumo ao Shopping Mueller...

Joinville 8

Putz!! Curitibano adora Shopping!! Que chuva!! O que o trio parada foi fazer?? Jogar fliperama... carrinho de bate bate, pescaria, dança, ganhamos premios e uma vaquinha que se chama Abigail. Mta risada. Deeeeeeeeemais. A Sil conseguiu quebrar a câmera. A chuva não parava. Bora achar um conserto pra máquina. Achamos. Voltamos pro shopping e o resto do povo nos aguardava lá.

Joinville 9

Alojamento. Vamos ajeitar tudo. Todas as camas no mesmo quarto. Sil e Robertson os guerreiros que trouxeram as camas para o outro quarto. Quase destruíram o alojamento. Deu tudo certo. Correria. Temos que ir para a abertura do encontro. Dormi. Dor de cabeça totality... Conhecemos os Joinvilleros do orkut. Iradooooo... bar, chopp, risada, amizades novas, e... deixa pra lá néeee...

Joinville 10

Durante a noite sabe Deus o que aprontaram. De manhã o evento começava às 9. Chegamos às 11 e poucos. Clarooooo... a informação: "Vai até o bombeiro, vira a esquerda; chega na Salfer, vira as dereita, qdo chegar no Bradesco vira a esquerda e vai toda vida reto." Detalhe: Toda vez que pedíamos informação era isso que falavam. Detalhe dois: tem loja Salfer em todo canto da cidade. Máfia da Salfer. Pior... vamos toda vida reto... puta merda!!

Joinville 11

Mesa redonda: "Vou colocar todos os pingos nos is e os cedilhas nos c's. (...)Acho que arquiteto que desenha quitinete sem lavanderia é pq nunca estudou filosofia na vida." NhÁ... só por Deus... Essa bebeu vaca da vaca louca...

Joinville 12

Acho que São Pedro só conhece Joinville. Como chove nessa cidade.

Joinville 13

Apresentação dos GT's. Demaisss. Aprendemos mtas coisas. Mtos professores da UP com excelentes trabalhos. Enfim Maria Zaclis, aprendemos o que os professores pensam sobre os alunos.

Joinville 14

Coraçãooooooo... a coração (profª Elza) ganhou um livro de nós aluninhos. A querida professora de fotos virou no capeta com a gente por causa disso, ficou com ciúmes e só faltou dar na cara da gente hahahahahahahahahaha. Uma das mais ridículas que eu presenciei, mas... ela é professora e ainda são mais dois anos de facul... o jeito é ficar na boa e deixar ela surtar sozinha. Pelo jeito a Coração gostou do livro.

Joinville 15

Acabou o encontro. Boteco com os curitibanos, joinvilleros, professores e nosso mestre Marinete. Ops, Faxina. Querido e gente boa, pagou o chopp pra galera.

Joinville 16

Domingo. Hora de voltar. A turma almoçou no Shopping Mueller (básico), tirou fotos, andou de elevador e bla bla bla... choveu só mais um pouquinho. A última cena dos turistas foi conhecer o cemitério da cidade. Algo fascinante. Cemitério é mto triste e tals. Mas aquele era histórico. E ali deve ter mta histórias para contar. Simbora pra Ctba. Simplesmente... bom demais!!

By Suellen

سويلين
Estranho...

Ontem fui ao shopping com o habib, e qdo estávemos voltando entramos no buzão e dei de cara com uma cena que me deixou balançada: um senhor barrigugo, sentado quase deitado, com um tenis que parecia aqueles bambas da vida e todo vomitado. Sua mochila jogada no chão. Meu coração partiu de ver aquilo. Minha vontade foi de tirar aquele cara dali. E juro, não foi sentimento de pena por ver as pessoas comentando aquilo, mas foi por solidariedade mesmo.

Enfim, o cara continou ali, deitado, vomitado, babado... meu namorado me levou um pouco pra longe dele. Aí fico pensando... eu poderia e deveria tê-lo ajudado... e mtas pessoas pensam o mesmo. Não sei se aquele senhor estava alcoolizado, se estava passando mal... realmente não sei. Cheiro de cachaça não tinha... juro, ele parecia estar morto, paralisado, igual uma pessoa qdo tem derrame. Sei lá... as pessoas são mto preconceituosas... uns nã ajudam por medo, outros pq acham q a pessoa está bêbada e merece ficar daquele jeito... ou outros são como eu, ficam indecisos sem saber o que fazer e não fazem absolutamente nada.

Mas, foi uma cena deplorável e chocante para mim...

By Suellen=)

Putz... essa foi foda!!

A febre do Nókia 2280 começou em 2203. Lembro qdo o Habib comprou um para ele logo depois de perder o seu motorola com Flip da moda (naquela época). Pow, era demais aquele "tijolar" azul, com luz azul e com o joguinho da bicicleta mais irado da época. O melhor de tudo é que ele baixava toques monofônicos de musiquinhas. Demais mesmo.

Eis que ganhei um aparelho desse do Tonico. Comprou em 10x. Naquele tempo a gente não conseguia comprar nada a vista. Era tdo caro. Qualquer duzentão apertava no bolso. Nooooooooooossa... fiquei maravilhada qdo meu baby me deu um nókia 2280 azul de presente. Milhões de coisas dava para fazer com aquele aparelho esquisito. Quase um mês depois que ganhei o presente, a tragédia aconteceu: roubaram o celular da minha bolsa. Fiquei desesperada, arrasada, indignada. Liguei e o aparelho dava como desligado. O Tony brigou comigo por eu ser desatenta... que raiva...

Sábado o Tony conseguiu falar com alguém que prometeu entregar o aparelho no terminal do Carmo... nada!! Domingo caía na caixa postal. Segunda fui trabalhar chateada, mas consegui um endereço o qual um piazinho que atendeu meu telefone passou. Faltei trabalho e fui atrás do meu brinquedinho azul que valia R$ 299,00. Fiz boletim de ocorrência. Meu pai foi comigo fardado.

Resolvemos então ir a casa do tal endereço. Era uma casa simples, no meio da favela, cheio de barro... garoava aquele dia. O céu estava cinza como hj. A família era tão simples qto o lugar em que moravam. Meu pai chegou fardado, chamou o responsável pela casa. Desconfiados que poderia ser ladrão, pediram pro meu papito se identificar. Ele o fez e conversou com a família. Percebi sinceridade na fala deles.

Fiquei triste, meu celular novinho fora roubado. Mas resolvi uma última tentativa: fui ao orelhão e liguei para o meu aparelho. Uma voz grossa atendeu, foi mal educado... voz de bandidão mesmo. MArcou encontro comigo ali na frente do Habibs do Hauer a noite. Falou para eu ir sozinha. Concordei... e é aí que começa a história cômica hahahahaha

Chegou o horário marcado, tomei meu banho, me arrumei, me perfumei e saí. E claro, com meu pai junto. Mas no caminho me bateu um frio na barriga tão grande que eu queria desistir. Na minha cabeça estava a interrogação: "E se ele me matar?" ´Falei pro meu arrumar um colete a prova de bala pra mim (olha amente da menina). Meu Deus, fui no quartel e peguei o dito colete. Coloquei por baixo da jaqueta. Um calor do caralho e eu de jaqueta vermelha... aquela jaqueta cor cereja que eu tanto gosto. Como diz o Tony, eu parecia uma astronauta hahahaha

Meu pai estava armado, o seu amigo Schmidt estava com um revólver na perna, o habib com um canivete e minha mãe não parava de olhar pra fora. Todos atentos esperando eu ir pro outro lado da rua pegar meu celular. Mas nem fudendo eu fuiii... tremia inteira de medo, tava cagando nas calças já só de imaginar... suava frio... uma loucura... tdo por causa de um celular nókia 2280...

Sério... cada vez q eu lembro disso dou mta, mas mta risada mesmo hahahahahahahaha... O soldado Schmidt deve estar dando mta risada lá do céu.. sério, foi uma das coisas mais cômicas que vivi na minha vida. E depois... se perder o celular de novo, não dá nada... antes o celular que eu...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh... escrevi isso pq estou sem nada pra fazer realmente e pq cada vez q lembro daquela situação e eu com um colete a prova de balas por causa de um celular, caio na risada...

By Suellen=)

Achei legal...
O porteiro do Puteiro.
 
Não havia no povoado pior ofício do que 'porteiro do puteiro'.
Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do puteiro um jovem cheio de idéias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento.
Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.
Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, Senhor - balbuciou - mas eu não sei ler nem escrever!
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.
- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer? Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.
Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego. Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado.
Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa. Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.
E assim o fez. No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar ... já que....
- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
- Se é assim, está bom.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias mula de viagem.
- Façamos um trato - disse o vizinho. Eu pagarei os dias de ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias...aceitou.
Voltou a montar na sua mula e viajou. No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo. Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras. Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: 'não disponho de tempo para viajar para fazer compras'.
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas. Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido.
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens. A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam encomendas.
Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes. Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.
Todos estavam contentes e compravam dele. Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos. Ele era um bom cliente. Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc..
E após foram os pregos e os parafusos... Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício. No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:
-É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de  colocar a sua assinatura na primeira página do Livro de atas desta nova escola.
- A honra seria minha - disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.
-O Senhor?!?! - disse o prefeito sem acreditar. O Senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto:
- O que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder - disse o homem com calma. Se eu soubesse ler e escrever... ainda seria o PORTEIRO DO PUTEIRO!!!
 
 
Geralmente as mudanças são vistas como adversidades. As adversidades podem ser bênçãos. As crises estão cheias de oportunidades.
Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.
A sua...
Eu só quero que você saiba 
Que eu estou pensando em você
Agora e sempre mais
Eu só quero que você ouça
A canção que eu fiz pra dizer
Que te adoro cada vez mais
E que eu te quero sempre em paz

Estou com sintomas de saudade
Estou pensando em você
Como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor
Eu tomo conta de você
Pois te quero livre também
Como o tempo vai o tempo vem

Eu só quero que você caiba
No meu colo porquê
Eu te adoro cada vez mais
Eu só quero que você siga
Para onde quiser
Que eu não vou ficar muito atrás

Estou com sintomas de saudade
Estou pensando em você
Como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor
Eu tomo conta de você
Pois te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem

Eu só quero que você saiba
Que eu estou pensando em você
Pois te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem
Porque eu te quero livre também
Como o tempo vai o vento vem
Vivaaaa... os playboys e patricinhas de Ctba venceram mais uma vez...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh... que legal!! Fiquei feliz com a vitória de Beto Richa com 77% dos votos. Só fiquei confusa com uma coisa... Será que esses 77% dos votos veio apenas das Patricinhas e Mauricinhos da cidade? Será que pobre tbm votou no Beto? Será que aqueles que recebem benefícios do PT tipo: PROUNI, Bolsa escola, bolsa família, vale gás e aquele monte de blá blá blá esqueceram de Gleisi Hoffmann? Pq não consigo acreditar que mais de 700 mil eleitores sejam as patricinhas e mauricinhos da cidade. Mas enfim, viva o Beto...

E para aqueles que votaram nele, devem cobrar suas promessas como zerar filas de creches e tals, metrô (que eu duvido), e todas as coisas q prometeu durante sua campanha. Aliás, eu votei no Beto e posso cobrar... agora quem não votou... tá bom, dêem o braço a torcer que o Beto é o melhor e podem cobrar tbm... huahuahuahauhauhauahuahuahua

Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...

By

Suellen=)

Como diz meu namorado...

A palavra vale prata... o silêncio vale ouro...

Para aqueles que querem escutar palavras de minha boca, fica o meu silêncio e o meu desprezo. Pq de gente ignorante eu quero distância. De gente falsa, quero distância. De gente que se faz ser o que não é, quero distância. Fica registrado que a minha sinceridade é apenas para quem merece e não para aqueles que gostariam de tê-la.

Suellen=)

Faculdade... aí surgem as grandes amizades...

Quem diria que fazer faculdade, além de ser útil, tbm seria divertido. Qdo comecei fazer design, achei tdo mto estranho. Primeiro pq eu ainda tinha uma cabeça meio estranha, tinha medo de falar, ficava quieta no meu canto, não falava com ninguém. Até que conheci a Lucyana e nos tornamos grandes amigas. Hj ela é casada com outro amigo meu, tem duas filhas lindas...

O tempo foi passando, passando. Eis que outro amigo surgiu, amigo este que por coincidencia faz aniversário dia 20 de dezembro. Romanóide, parceiraço mesmo. Aí também com o tempo fiquei amiga da Simone, da Nayra, da Mari, e mtos outros que ali estudavam. Sei lá... era um mundo estranho o qual eu nunca conseguia fazer parte dele. Eis que um dia resolvi mudar.,.. mudar de curso, mudar minha vida, e começar tudo de novo...

Jornalismo... esse será meu novo caminho... meti a cara e fui...

Foi a mesma coisa. Eu já com 23 anos no meio de um monte de gente com a idade da minha irmã. Meu mundo caiu. Ahhhhh... sentei lá no cantinho, mas deixei um pouquinho, mas bem pouquinho mesmo de ser anti social. Comecei a conhecer e conversar as pessoas. Comecei a descobrir as afinidades, as não afinidades... e segui, segui em frente.

Eis que de repente me vi no meio de um monte de meninada... ahhhhhhhhhhhhh minhas amigas... o tempo passou e a amizade cresceu... cada uma com seus defeitos... cada uma com suas qualidades. Eis que surgiu o quarteto fantástico, quatro maluquetes que vivem dando bola fora...

Eis que são... Sil, Pri, Gabi e eu...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh como me divirto com essas meninas... é bar na segunda, é risada na sala, é mal humor, tpm, briguinha de vez enquando... mas nossa... não sabia que seria na faculdade que eu iria encontrar as melhores pessoas do mundo... e as melhores amigas...

Nossa, que emoooooooooooo... mas amoooooooooooooooo todas vcs... mesmo que eu não demonstre ou fale, adoro todas...

By Suellen

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sul , Mulher , de 20 a 25 anos , Cinema e vídeo
MSN -